quinta-feira, 17 de setembro de 2009

*Toxicidade da ivermectina em cães da raça Collie.

Esta é uma questão muito interessante que vamos esclarecer ao pessoal que sabe que não se deve dar a ivermectina a esses cães, mas não sabe de que forma esse vermífugo prejudica o animal.
Também é bom ressaltar que não somente os cães da raça Collie têm esse problema, mas também Whippets Australian Shepherds e Border Collie são sensíveis a ivermectina.
A toxicidade da ivermectina em Collies foi descrita pela primeira vez em 1983. A ivermectina causa toxicidade neurológica em concentrações abaixo da considerada tóxica para cães.
A manifestação toxicológica em cães sensíveis compreende hipersalivação, ataxia, cegueira, comprometimento respiratório, coma e morte.
A causa segundo pesquisadores da Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade de Washington é uma mutação do gene MDR1. Este gene codifica uma P-glicoproteína que bombeia os medicamentos para fora do cérebro, de volta para a corrente sangüínea onde eles serão metabolisados com segurança. Nos Collies essa P-glicoproteína esta incompleta não sendo o medicamento bombeado para fora do cérebro casando a neurotoxicidade.
Outras drogas como loperamida, digoxina, acepromazina, butorphanol e quimioterapicos como a vincristina, vinblastina e doxirubicina também são substrato para a P-glicoproteína. Pesquisas citam a susceptibilidade à neurotoxicidade induzida por algumas destas drogas nos cães da raça Collie.
Fique atento não dê medicamentos a seu animal de estimação sem a devida prescrição ou acompanhamento de seu médico veterinário.

Um comentário:

  1. Porque o fabricante do Neogard argumenta que 0,06 % de ivermectina na composição não causa danos a nenhuma raça ? Esse medicamento já matou muitos caes pelo que sei...

    ResponderExcluir